A profissão do advogado surge no início das experiências comunitárias, fruto da própria convivência social: inicialmente, como a figura de um conselheiro, mesmo nos regimes tribais mais simples, evoluindo, a seguir, para os grandes impérios.

No princípio, o exercício da advocacia era uma honra e não podia ser remunerado. Com o tempo, o patrocínio da causa foi sendo gratificado pelos beneficiados, que, vendo a honrada atuação de seus causídicos, a eles ofereciam uma recompensa pelo trabalho realizado, que passou a ser chamada de “honorarium”, palavra que vem de honor, honra, surgindo então os honorários, os “tributos de honra”.

A Constituição Federal brasileira de 1988, em seu artigo 133, dispõe que “o advogado О indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei”. Por consequência, pode-se afirmar que nenhum cidadão pode prescindir do auxílio de um advogado nos assuntos a que é pertinente, pois somente este está efetivamente preparado para tal fim.

Atualmente a advocacia é uma profissão mundialmente conhecida e sua atuação permeia quase todas as áreas das relações humanas, tendo sido necessária sua ampliação e desmembramento em ramos e especialidades.

Conforme mencionado, a evolução social fez com que o direito se ramificasse nas mais diversas áreas, exigindo uma crescente especialização do profissional atuante na advocacia. A velha máxima na qual a profissão de advogado era constantemente relacionada à malandragem, e até mesmo à desonestidade, há muito foi desmistificada. É patente que, para o advogado se firmar no mercado de trabalho, é necessário o estudo e atualização constantes, sendo indispensável ainda a sua inteira subordinação às normas de ética e disciplina estatuídas pela Ordem dos Advogados do Brasil, bem como ao mais amplo respeito às regras de moral e probidade que norteiam nossa sociedade.

Constantemente o advogado se depara com inovações legislativas, com novas relações interpessoais, novos métodos de formalização de acordos, novos meios de cometimento de delitos, novos tipos de provas, novas formas de declaração de vontades, além de a sociedade estar em contínua mutação, o que demanda do profissional preparação para entender, orientar, descrever e, de alguma forma, obrar para que as relações, as normas e o direto assegurem, sempre, a primazia da justiça.

A promulgação do Novo Código de Processo Civil e a implantação do processo eletrônico em diversas cidades, inclusive no interior do país, como é o caso de Lavras/MG, somente nos conduz à conclusão de que a permanente atualização do advogado deixou de ser uma opção para se tornar uma necessidade e condição prioritária dentro do exercício da profissão, pois a cada dia o mercado se torna mais seletivo e o cliente mais exigente e bem informado, surgindo daí a necessidade da constante evolução do profissional do direito.

Seja por intermédio do tradicional e experiente advogado, que, com seu conhecimento adquirido ao longo do tempo, traz segurança e credibilidade ao seu cliente, seja por meio do jovem e inovador profissional, que é dedicado e atencioso com cada um de seus novos casos, a advocacia deve ser valorizada e reconhecida, pois somente mediante a atuação de um advogado é possível se fazer vigorar a verdadeira justiça.


ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA

SALGADO VEIGA

Dr. Antônio Carlos Salgado Veiga
OAB/MG 6.146

Dra. Taísa CorrРa Silva
OAB/MG 125.759

Dra. Amanda Costa Vilela
OAB/MG 143.544

R. Raul Soares, nº 76, sl. 110, Centro – Lavras/MG
(35)3821-241910

Revista Ipê