Lavrenses percorrem quase 10.000 km pela América do Sul em 21 dias

Celso Ricardo, Alexandre Locha, Maurilio Lopes e José Henrique partiram em uma viagem inesquecível, com poucas bagagens e apenas suas grandes parceiras: as motos Harley Davidson, Fatboy 1600cc, BMW GS 1200, Honda Shadow 750, Triumph Thruxton 900cc, respectivamente.

Foram 21 dias, passando por lugares memoráveis, como Corrientes, Posadas, Salta, San Salvador Jujuy, Paso Jama, Deserto do Atacama, São Pedro de Atacama, Calama, Antofagasta, descendo pela costa do oceano Pacífico até próximo a Santiago, entre outros, da Argentina ao Chile.

O fotógrafo José Henrique conta que há muito tempo planejava essa viagem, o difícil era conciliar uma data e a disponibilidade de todos. “Depois que resolvemos ir, toda a preparação foi de aproximadamente oito meses. Fizemos o roteiro e decidimos onde iríamos parar. Tínhamos algumas cidades em mente, mas nenhuma reserva em hotéis  anteriormente. Quase nunca entrávamos nas cidades, seguíamos viagem o máximo possível, e parávamos somente para dormir, pois nosso objetivo era chegar ao Chile”, conta.

Apesar dessas viagens aventureiras, por motociclistas, já serem mais comuns, eles relataram que muitas pessoas ainda se surpreendem. “Teve um momento muito divertido. Em Villa Maria (Argentina), fomos parados por policiais, mas eles não nos abordaram para fiscalizar, queriam ver como eram as motos, ficaram conversando conosco. Falamos nosso espanhol enrolado, mas conseguiram nos entender”, comenta José Henrique.

Eles contam que foram bem recebidos em todos os locais que passaram. O que mais chamou a atenção deles foi que mesmo nas regiões mais pobres havia internet liberada e de qualidade. “Não precisei utilizar a minha rede móvel em nenhum momento”, relata.

Mas, como contraste, ele comenta que ficou impressionado com a quantidade de veículos antigos na Argentina. “Muitos carros velhos, mas muito velhos mesmo. Teve um que não acreditei, até filmei. Outro aspecto interessante é a quantidade de cabras, porcos, que ficam soltos pelas rodovias, principalmente nas regiões mais precárias”.

E as aventuras, foram muitas. Com direito a ficar sem combustível. “Antes de chegar a Santiago Del Stero, paramos num local para saber onde tinha um posto mais próximo, e nos falaram que em 17 km. Mas, Maurílio já precisava abastecer, então diminuímos a velocidade para aumentar a autonomia. Quando chegamos ao posto, olhei para trás e não o avistei. A gasolina dele acabou 50 metros antes de chegar ao posto. A sorte é que era um local plano, pois, essas motos são muito pesadas, em morro não conseguiríamos empurrar os 50 metros restantes”.

E não para por ai, tiveram quedas também, só que parados. “Teve uma hora que paramos para fazer uma foto, e veio uma rajada de vento tão forte que derrubou uma das motos. Precisamos de três para levantar a moto, pois estávamos a 4.000 metros de altitude, já sem ar e força”. Gasolina acabou, motociclista caiu e, para complementar, enfrentaram tempestade de areia e tremor de terra: “Antes de chegar a Copiapó vimos uma tempestade de areia, coisa de filme. Impressionante. Já em Copiapó, às 5h, a cama começou a tremer. Era terremoto. Forte, mas questão de segundos”.

Os amigos comentam que em determinadas situações, no início, a tensão chega, mas, ao longo da viagem, tudo passa a ser corriqueiro. “Enfrentamos chuva, passamos muito frio, mas tudo valeu a pena. Quando chegamos à fronteira do Chile e mostramos a documentação, a funcionária da alfândega disse que estava tudo certo, mas que iria verificar as motos. Quando ela saiu estava ventando tão frio que acabou desistindo”, conta.

Salinas Grandes (Argentina)

Salinas Grandes (Argentina)

6 g vulcão licancabur

Eles contam que antes de chegar a São Pedro de Atacama/Chile, enquanto cruzavam o deserto, com altitude de 4.300 metros, as motos praticamente não andavam, por conta do ar rarefeito que prejudica a mistura de ar e combustível. “Tivemos que tirar o filtro de ar de uma das motos e andar bem devagar, pois faltava força no motor. E a temperatura estava -7ºC. Tão frio, que as nossas mãos não esquentavam. Tínhamos que acelerar a moto com uma mão e deixar a outra próxima ao motor da moto”.

Los caracoles (Chile)

Los caracoles (Chile)

Chegando a Los Andes, a intenção dos motociclistas era de apenas passar a noite e seguir direto para Mendonza, mas, devido à chuva e à neve, a passagem foi interditada. “Passamos muito frio no trajeto de Los Vilos a Los Andes (Chile). Nossa esperança ainda era dormir e seguir viagem, mas a fronteira de Paso Los Libertadores foi fechada, a mais importante entre o Chile e a Argentina. Sem previsão de abertura. Ficamos lá quinta e sexta. Somente no sábado que foi liberada. Acabamos perdendo o passeio em Mendonza. Mas, em compensação, a travessia foi fantástica, toda a paisagem branca pela neve”.

Oceano Pacifico Cidade de Antofagasta (Chile)

Oceano Pacifico Cidade de Antofagasta (Chile)

Para o grupo de motociclistas, as dificuldades viram histórias, momentos épicos. E, para a próxima aventura, eles pretendem fazer uma incrível expedição no Ushuaia/Argentina. Claro, se as esposas permitirem, comentam em risos.

Vulcão Licancabur (Chile)

Vulcão Licancabur (Chile)


Documentos para uma viagem
de moto pela América do Sul

Identidade: (com menos de cinco anos de emissão). Se possível o passaporte, que já possui todas as informações complementares exigidas. Caso não tenha passaporte, será necessário preencher alguns formulários, aumentando a burocracia.

Carteira Nacional de Habilitação: A brasileira tem validade nos principais países vizinhos.

Seguro Pessoal de Viagem: Não é obrigatório, mas é uma segurança em caso de necessidade.

Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos

Seguro Carta Verde: Para entrar em alguns países do Mercosul, com qualquer tipo de veículo, é preciso ter a carta verde, um seguro para cobrir danos contra terceiros. Só entra no país se portar esse documento. E para complementar, é interessante fazer uma extensão de perímetro do seu veículo, além do seguro viagem.
No Chile, o seguro contra terceiros chama Soapex e é feito direto no site HDISeguros.

OUTRAS INFORMAÇÕES

Partida: 29 de abril.

Retorno: 19 de maio.

Total: 21 dias.

Média de gasto: R$300 por dia, com todas as despesas, incluindo gasolina e hotéis de qualidade.

Os vídeos da viagem podem ser acessados em vimeo.com (expedição moto 2017).


de Lavras, MG a Garuva - SC - Google Maps-1TRAJETÓRIA

1º DIA

29/04/17

Percurso: Lavras / Jaguariaíva

Tempo 11h

Distância: 761km


2º DIA

30/04/17

Percurso: Jaguariaíva / Dionísio Cerqueira

Tempo 8h

Distância: 582km


3º DIA

01/05/17

Percurso: Dionísio Cerqueira / Itatí (Argentina)

Tempo 9h

Distância: 583km


4º DIA

02/05/17

Percurso: Itatí / Villa Ángela

Tempo 7h

Distância: 339km


5º DIA

03/05/17

Percurso:Villa Ángela / Santiago Del Estero

Tempo 7h

Distância: 394km


6º DIA

04/05/17

Percurso: Santiago Del Estero / Salta

Tempo 7h

Distância: 463km


7º DIA

05/05/17

Percurso: Salta / San Salvador de Jujuy

Tempo 4h

Distância: 93,1km


8º DIA

06/05/17

Percurso: San Salvador de Jujuy / San Pedro de Atacama (Chile)

Tempo 11h

Distância: 476 km

San Pedro de Atacama

San Pedro de Atacama


9º DIA

07/05/17

Descanso (Domingo)


10º DIA

08/05/17

Percurso: San Pedro de Atacama / Antofagasta

Tempo 5h

Distância: 309 km


11º DIA

09/05/17

Percurso: Antofagasta / Copiapó

Tempo 11h

Distância: 571 km


12º DIA

10/05/17

Percurso: Copiapó / Los Vilos

Tempo 11h

Distância: 587 km


13º DIA

11/05/17

Percurso: Los Vilos / Los Andes

Tempo 3h

Distância: 170 km


14º DIA

12/05/17

Estrada interditada pela neve


15º DIA

13/05/17

Percurso: Los Andes (Chile) / San Luis (Argentina)

Tempo 10h:30m

Distância: 530 km


16º DIA

14/05/17

Percurso: San Luis / Santa Fé

Tempo 8h

Distância: 653 km


17º DIA

15/05/17

Percurso: Santa Fé / São Borja (Brasil)

Tempo 9h

Distância: 648 km


18º DIA

16/05/17

Percurso: São Borja / Vacaria

Tempo 9h

Distância: 556 km


19º DIA

17/05/17

Percurso: Vacaria / Garuva

Tempo 12h30m

Distância: 647 km


20º DIA

18/05/17

Percurso: Garuva / Piedade

Tempo 10h 30m

Distância: 442 km


21º DIA

19/05/17

Percurso: Piedade / Lavras

Tempo 8h

Distância: 486 km

Distância calculada pelo Google 9.200 km

Distância real 9.740 km


Por Camila Caetano

Revista Ipê