Em momento histórico, 23ª edição faz elo entre passado, presente e futuro

Em sua 23ª edição, a Casa Cor Minas Gerais rompe mais um desafio. Fruto de muito trabalho e de uma obra gigantesca, a mostra ocupa, em 2017, uma edificação histórica, cuja origem remonta do início do século XX. O casarão, parte do acervo imóvel da extinta Rede Ferroviária Federal (RFFSA), teve seus espaços recuperados sob a supervisão do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN/MG) e ressignificados por um time de profissionais e empresas que, durante os últimos meses, foram envolvidos pela mesma paixão: dar visibilidade e mostrar uma construção histórica em todo o seu potencial.

Com o tema “Foco no Essencial”, a Casa Cor Minas buscou novas conexões para oferecer uma mostra interativa, em que a novidade está por toda parte, como no modelo radical do Guaja Sapucaí, um convite à intervenção do público e na proposta de manter um Makerspace, espaço que se abre a trabalhos e experiências colaborativas. E também no Ginger Bar, que traduz uma tendência europeia para apresentar não só o primeiro bar de gim da cidade, mas o primeiro a oferecer o gim da casa, com uma inédita destilaria funcionando dentro dele.

Está, por fim, no universo que agrega os lançamentos mais importantes do setor da arquitetura, design e tecnologia de ponta. O trabalho apresentado nesta edição é assinado por profissionais que, imersos no conceito de recuperação de um imóvel histórico e na sua conexão a uma linguagem contemporânea, fazem parte de um time de altíssimo quilate.

Comece agora a explorar essa mostra histórica da Casa Cor Minas:

COZINHA FUNCIONAL

Por Gabriela Azeredo e Patrícia Pires

Não é uma cozinha com cara de cozinha, embora ela esteja preparada para funcionar a pleno vapor. Projetada para que renomados chefs possam ensinar nela alguns de seus segredos gastronômicos durante a programação do projeto Cozinha Inusitada, ela é inspirada no conceito slow living, focado em pilares como equilíbrio, leveza e funcionalidade. A proposta foi deixar espaço humanizado, incluindo nele dois sofás e uma TV que pode ser vista de todos os ângulos. A grande bancada em porcelanato inclui cooktop e é cercada por bancos, finalizada com uma ampla mesa em madeira. Prateleiras e estantes abrigam plantas, objetos e livros. A iluminação, assinada pela light designer Ana Paula Lucchesi. A ideia de espaço despojado reforçou a opção de deixar o teto aparente, as janelas em sua cor natural e o piso original, em madeira. A única ressalva, nesse sentido, foi a instalação de um  tablado, estrategicamente colocado para destacar o chef em sua função durante a preparação dos pratos.

ESPAÇO GAMES

Por Renata  Ferreira

Inspirado no famoso canal do YouTube Authentic Games, comandado pelo jovem mineiro Marco Túlio, o quarto traz toda a atmosfera do famoso jogo Minecraft e seu universo construído por blocos. O conceito aparece em diversos detalhes, como o pinel ripado com doze luminárias fixas em formato do boneco Steve, e o painel recortado a laser, que simula um circuito de computador. Revestimento e tapete ganharam quadriculado característico dos jogos. Uma cadeira ergonômica e mesa com tampo regulável complementam o projeto que agradará crianças e adolescentes.Espaço Games - Renata Ferreira - Crédito Jomar Bragança 01HOME OFFICE

Por Cláudia Martins

Um ambiente que oferece outras possibilidades além do trabalho e é pautado pelo conforto. O cômodo conta com uma adega climatizada, sofá em chaise em couro caramelo e um painel de aço com espelho bronze, que proporciona a sensação de amplitude. Uma estante vazada funciona como divisória de dois momentos: o da entrada, com móveis contemporâneos, TV e adega e, o segundo, com bancada de trabalho em gofrato – pintura de microtextura. A iluminação, feita por spots de luz em trilho, e o teto preto implicam em profundidade no ambiente.Home Office - Cláudia Martins - Crédito Jomar Bragança 03ESTAÇÃO LAZER

Por Gislene Lopes

Ambiente dinâmico, o projeto apresenta ao visitante um local de lazer em sintonia com a construção histórica. O vagão, que já existia no local, virou espaço lúdico e ganhou cobertura inspirada nos trilhos do trem. A área de lazer, com espaço gourmet multiuso projetado com materiais inovadores, tem cobertura em renda de ferro, em interessante jogo de luz e sombra. Sobre a piscina, uma deliciosa daybed (sofá-cama em tradução livre), fixada no pergolado – estrutura de madeira – pensado especialmente para esse projeto, reforça a proposta de descanso.Estação Lazer - Gislene Lopes - Crédito Jomar BragançaLOFT

Por Cássio Gontijo

Praticidade é a palavra de ordem neste espaço. A cozinha e a suíte máster, integrada ao banho, recebeu um pórtico, que funciona como biombo, e separa a área íntima da social, que dispensa a necessidade de uma parede. A solução valoriza ainda mais o ambiente. Telas de arte de grandes proporções se misturam com peças barrocas. Um projeto audacioso que explora os tons de cinza, preto, off white e toques de verde e bordô em um mesmo ambiente.LOFT - Cássio Gontijo - Crédito Jomar Bragança 06SALA DE VESTIR

Por Diversa Arquitetura
Mariana Nogueira

Um ambiente íntimo e de transformação da mulher, onde os elementos também refletem a evolução dos espaços residenciais nos últimos 100 anos. Essa é a proposta deste projeto. Móveis, memórias, vestidos e outros objetos femininos compõem o ambiente cênico, que conjuga a área de estar com o local de transformação feminina, em uma espécie de camarim pessoal. Um dos destaques do espaço são as telas do artista plástico Rogério Fernandes, que retratam o feminino contemporâneo. O ambiente traz várias peças garimpadas em antiquário, num ambiente com tapete vermelho e luz indireta. Um pórtico demarca a iluminação e divide o espaço.Sala de Vestir - Mariana Nogueira - Crédito Gustavo Xavier 05LOFT ITINERANTE

Por Caio Prates

Instalado dentro de um ônibus, o loft itinerante poderia facilmente ser utilizado como moradia ou hospedagem temporária para um casal. O projeto inclui vários ambientes: sala de estar e TV integrada, quarto, cozinha, área de banho com uma confortável banheira e lavabo. A proposta é apresentar um novo modo de percepção e experimentação do espaço urbano.Loft Itinerante - Caio Prates - Crédito Jomar Bragança 11QUARTO DO BEBÊ

Por Marcos Dias Reis

No lugar de muitos enfeites e babados, a sensibilidade de explorar o espaço tendo como base a maneira como a criança enxerga o mundo. Com um conceito atemporal, o quarto pode servir crianças de diversas faixas etárias. O cômodo ganhou um tablado, onde foi inserida a cama. O berço tem pegada retrô, mais enxuto, trabalhado em palhinha em contraponto com a cor petróleo. A base é toda em madeira freijó. Detalhe para o trocador em porcelanato esculpido, com banheira para o bebê.Quarto do Bebê - Marco Reis - Crédito Gustavo Xavier 02COZINHA DE QUINTAL

Por Ana Paula Rohlfs

Com ares de antigas fazendas, o ambiente fisga o visitante por sua memória afetiva. Elementos de três espaços como cozinha, pomar e horta estão presentes no projeto, e a transição entre eles foi criada por meio de um painel feito com chapas de sucata. Revisitado, o “fogão a lenha” vem com cooktop e está rodeado de poltronas e banquinhos de época. Uma queijeira antiga também está de cara nova no ambiente, e recebeu cuba, torneira e escorredor. O espaço conta ainda com uma mesa desenhada pela arquiteta e várias obras de arte chamam a atenção do público para os detalhes.Cozinha de Quintal - Ana Paula Rohlfs - Crédito Jomar BragançaGINGER BAR

Por Ângela Roldão

Descolado e atual, o Ginger Bar ocupa um pequeno espaço interno e charmoso que se estende à área externa do casarão. Com mobiliário contemporâneo espalhado pelo jardim, ele foi inspirado nos museus da Europa com seus ombrelones e mobiliário em alumínio e vidro, tudo bem leve. Na parte interna, um antigo porão foi transformado em uma cozinha aberta, onde o clássico e o moderno se encontram e são valorizados pela parede com textura em pó de ouro.

Ginger Bar - Angela Roldão - Crédito Jomar Bragança 05

Revista Ipê