Garantia de economia
e sustentabilidade

A Plêiade Energia Solar, empresa lavrense que atua no ramo de geração de energia solar fotovoltaica, oferece soluções completas para você produzir sua própria energia elétrica, permitindo, assim, a redução da sua conta de luz em até 95%.  Além dessa economia, possibilita um conjunto de vantagens sustentáveis, como a redução da emissão de CO2.

A confiabilidade e garantia dos equipamentos também merecem destaque. O custo de manutenção é praticamente zero e a garantia de geração dos módulos fotovoltaicos ultrapassa os 25 anos. Além disso, o tempo de retorno financeiro do sistema fotovoltaico varia de 4 a 6 anos, tornando-o um investimento melhor que outras opções de renda fixa, como a poupança, Letras de Crédito Imobiliário (LCI) ou Agrícola (LCA).

Há diversas linhas de financiamento para a compra dos equipamentos fotovoltaicos. E o investimento na geração própria de energia é lucrativo, principalmente para indústrias, hotéis, supermercados, padarias, açougues, sorveterias e outros estabelecimentos que consomem muita energia e têm equipamentos elétricos que ficam ligados o tempo todo. As vantagens são evidentes. “Confiar no Sol é bom para o seu bolso e para o planeta”, ressalta Rodrigo Marquês, representante da Plêiade Energia Solar.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Minas Gerais é o estado com maior número desses equipamentos, com um total de 3.540 sistemas. Em Minas, a Plêiade Energia Solar, por exemplo, possui instalações em Lavras, Caputira e Machado. Atua ainda nas cidades de Barra Mansa, Volta Redonda e Paracambi, no estado do Rio de Janeiro.

No total, a empresa já possui 150 kWp de usinas fotovoltaicas instaladas. Para se ter uma ideia, esse potencial seria suficiente para atender aproximadamente 150 residências com um consumo médio de 130 kwh/mês, destaca Rodrigo.

Em Lavras, quem está na expectativa por essa nova alternativa é o empresário Farley Asmar Pereira, que, em parceria com a Plêiade Energia Solar, instalará uma usina de geração fotovoltaica de 75 kWp, que já está em fase final. O empreendimento foi financiado pelo Proger Urbano Empresarial e atenderá a demanda energética da Lavanderia Vitória e Vitória Decorações. A previsão é que a usina já comece a gerar economia em maio, mês em que entrará em operação.

Cherezoff/ Shutterstock

Cherezoff / Shutterstock

GERAÇÃO DISTRIBUÍDA:

Novos cenários para a produção de energia fotovoltaica

Por meio de uma resolução Normativa nº 687/2015, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que revisou a Resolução nº 482/2012, o consumidor brasileiro pode gerar sua própria energia elétrica a partir de fontes renováveis e fornecer o excedente para a rede de distribuição de sua localidade. Essas inovações aliam economia financeira, consciência socioambiental e autossustentabilidade.

Um exemplo da geração distribuída é a microgeração por fonte solar fotovoltaica: durante o dia, a “sobra” da energia gerada pela central é passada para a rede; à noite, a rede devolve a energia para a unidade consumidora e supre necessidades adicionais. Portanto, a rede funciona como uma bateria, armazenando o excedente até o momento em que a unidade consumidora necessite de energia proveniente da distribuidora.

Assim, quando a quantidade de energia gerada em determinado mês for superior à energia consumida naquele período, o consumidor fica com créditos de energia, que podem ser utilizados para diminuir a fatura dos meses seguintes. O prazo de validade dos créditos é de 60 meses, sendo que eles podem também ser usados para abater o consumo de unidades consumidoras do mesmo titular (pessoa física ou jurídica) situadas em outro local, desde que na área de atendimento de uma mesma distribuidora. Esse tipo de utilização dos créditos é denominado “autoconsumo remoto”.

Outra inovação da norma diz respeito à possibilidade de instalação de geração distribuída em condomínios (empreendimentos de múltiplas unidades consumidoras). Nessa configuração, a energia gerada pode ser repartida entre os condôminos em porcentagens definidas pelos próprios consumidores.

A Aneel criou ainda a figura da “geração compartilhada”, possibilitando que diversos interessados se unam em um consórcio ou em uma cooperativa, instalem uma micro ou minigeração distribuída e utilizem a energia gerada para redução das faturas dos consorciados ou cooperados.

Fonte: Aneel

info


Contato:
(35) 98414-6877 e (35) 98818-3919
pleiadeenergia@gmail.com
FB/pleiadeenergia
Instagram: @pleiadeenergia
www.pleiadeenergia.com.br

Logo Timbrado cópia

 

Revista Ipê