Conheça o Airsoft, um esporte que reúne apaixonados
por treinamento militar

Por Marina Alvarenga Botelho
Fotos: Marcus Ribeiro


Honra é a palavra chave para quem pratica o Airsoft, um esporte que simula táticas militares, utilizando armas de pressão que dispara bolinhas de plástico, de seis milímetros de diâmetro, mas sem o uso da tinta, como no paintball. Dessa forma, depende da honestidade e caráter de cada jogador, em uma partida, dizer que foi atingido e se retirar do jogo.

A modalidade surgiu na década de 70 no Japão, mas logo passou a se popularizar pelo mundo todo. No Brasil, o esporte passou a ser difundido no início dos anos 2000, mas o uso de seus equipamentos só foi regulamentado pelo Exército Brasileiro em 2007. Em 2010, por meio de uma portaria, o órgão passou a exigir uma ponteira laranja ou vermelha nas armas, para regulamentá-las como armas de pressão. Atualmente, o site Eventos Airsoft Brasil reúne mais de 300 equipes por todo o país.

O Airsoft é um esporte praticado por quem tem paixão por estratégias de combate militar. O técnico de informática lavrense, Ronan Simon Silva, hoje coordenador de um grupo em Lavras, conta como passou a desenvolver essa paixão pela modalidade: “sempre gostei de jogos eletrônicos envolvendo situações militares e de guerra e também de armas, pois quando eu era criança, arminhas de brinquedo não eram proibidas. Há dois anos um amigo me chamou para uma partida, e eu já conhecia as armas, mas não sabia que existia um esporte assim. Depois disso, não parei mais”.

AIRSOFT EM LAVRAS

Lavras já possui vários grupos praticantes do esporte, dentre eles o coordenado por Ronan, que reúne hoje cerca de 55 jogadores e se reúne com uma frequência quinzenal. No início das atividades, Ronan conta que se reuniam em São João Del Rei, “A primeira vez que eu participei de uma partida foi um jogo nacional, em São João, com mais de 80 pessoas. Achei uma coisa muito doida, e não parei depois. Só depois conheci pessoas de Lavras e nos juntamos. Começamos a praticar aqui na cidade, no entanto, somente a partir de 2015”.

_dsc1797

Special Tactics and Rescue Team – STARS – é o nome do grupo, cujo número efetivo de jogadores é de 25 pessoas. Se reúnem sempre aos domingos, quinzenalmente. Suas partidas duram em média de quatro a cinco horas, mas “existem partidas que podem durar mais de 12 horas. Já fiquei sabendo de algumas que duram uma semana”, explica Ronan.

O ESPORTE E A HONRA

São diversas as modalidades do airsoft (veja no quadro no início da matéria) e as relações de honra, caráter e honestidade são fundamentais para a prática do esporte. É essencial que os jogadores compartilhem uma mesma visão de jogo. Ronan conta que antes participava de um outro grupo, mas por divergência nos pontos de vista, acabaram formando outro. “Aqui praticamos militar simulation. Vamos fazer seis meses com esse novo grupo. Muitos usam o airsoft como uma hierarquia, do tipo ‘eu cheguei primeiro, eu que mando’. E a gente divergia desse tipo de pensamento. Para nós, todos têm voz ativa”.

_dsc0532

Normalmente, em uma partida (na modalidade jogada pelos Stars), divide-se o grupo em duas equipes, em busca de realizar um objetivo, quase como um “rouba-bandeira”. Caso o jogador seja atingido, ele deve voltar ao ponto de respawn, e depois pode voltar para o jogo, pois para o grupo, como não há um sistema de vitória, o objetivo é se divertir.

Já em competições, as relações podem ser diferentes. “Competição pode aumentar muito o ego de um jogador, pois ele quer ganhar e, se ganhar, acha que é o melhor. Você pode acabar atraindo pessoas que não tem honra, e para gente o fair play e a honra são os mais importantes. Pois como não tem tinta, as pessoas às vezes podem acabar ‘roubando’ e falando que não levaram o tiro, é onde está a honestidade do camarada”.

SEGURANÇA EM PRIMEIRO LUGAR

O airsfot pode machucar e, inclusive, cegar, se os jogadores não possuírem os equipamentos adequados. O óculos de proteção, por exemplo, não pode ser retirado em momento algum da partida. “Se não utilizar proteção pra boca também, por exemplo, já aconteceu com amigos nossos de perderem o dente”, diz Ronan.

Para garantir a segurança, antes de cada partida é realizado um briefing, momento em que são reunidos todos os jogadores para que as regras sejam passadas e os equipamentos conferidos. Além disso, é importante que os jogadores prezem por dois princípios na hora de atirar, de acordo com Ronan: “Tem que saber onde está atirando, para evitar atirar nas regiões mais frágeis, como no rosto, e não é permitido o overshot, ou seja, atirar além da conta no companheiro”. Ainda pensando na segurança total da partida, caso apareça algum “civil” no ambiente, o jogo é imediatamente parado e a pessoa é escoltada até uma área de segurança.

QUERO JOGAR AIRSOFT – E AÍ?

Qualquer pessoa maior de 18 anos pode jogar airsoft, se tiver os equipamentos adequados. Normalmente, para fazer parte de uma equipe, são solicitados os documentos do requerente, como CPF e RG, bem como é retirado na Polícia Civil um comprovante de bons antecedentes. Como aponta Ronan, “a gente não quer uma pessoa com más intenções no nosso meio. Depois disso é passado um treinamento para essa pessoa”.

_dsc0547

Como não existe uma modalidade mais recreativa do Airsoft, como no Paintball, o foco do airsoft é utilizar o treinamento militar como um lazer. Portanto, não é possível que seja realizado sem que cada jogador possua seus próprios equipamentos e uma correta preparação. É um esporte que requer muita disciplina, como explica Ronan, “Muitas vezes o cara chega no local, cru, sem saber o que ele está fazendo, e ele pode acabar machucando alguém com isso”.

 

Para começar, portanto, o investimento é alto. As armas mais baratas podem ser compradas com cerca de setecentos reais, mas é necessário também garantir o resto do equipamento – farda (é proibido o uso da farda do exército brasileiro), colete, óculos, protetor bucal. O gasto total inicial gira em torno de dois mil reais.

Uma regra básica e que é essencial de ser seguida: a arma do airsoft, mesmo sendo de pressão, é tratada como uma arma – deve estar sem munição, deve estar sem sua bateria e ser levada dentro de um case, com a nota fiscal. Ronan explica: “É uma arma e não um brinquedo. O exército, por exemplo, também as usa em treinamento”.

 


CATEGORIAS DO AIRSOFT

MILITAR SIMULATION

(MILSIM) – Inspirado por simulação militar tática, une duas ou mais equipes, que devem realizar os objetivos definidos no início da partida. Alguns exemplos podem ser: eliminar a equipe adversária, capturar um objeto ou jogador, escolta, ataque/defesa de perímetro, entre outros.

TIRO PRÁTICO

Categoria individual e recente, que consiste em tiro ao alvo com armas Airsoft.

TIRO DESPORTIVO

Pode ser individual ou coletiva, combina o tiro com pressão com a prática de atividades atléticas. Outra modalidade semelhante é a Biatlo de Airsoft, uma versão do biatlo Olímpico (Olimpíadas de Verão). É feito um percurso composto por um circuito fechado com 1/2 km de distância, sendo que, ao longo do caminho, o praticante encontra pontos feitos para tiro ao alvo.

TIRO DE PRECISÃO

Categoria individual, que consiste na prática de tiro ao alvo com arma de Airsoft, exigindo concentração e disciplina do praticante. Esta é a categoria mais comum e praticada, embora não em nível de competição.

BIATLO DE AIRSOFT

É uma versão adaptada do biatlo Olímpico (olimpíadas de Verão). O percurso é composto por um circuito fechado com 1/2 km de distância que, dependendo do tipo de prova, cada atleta terá de passar por uma ou mais vezes. Ao longo do caminho, o praticamente vai encontar muitos pontos feitos para tiro ao alvo.

Revista Ipê