Lavras já possui seu próprio time de futebol americano. Conheça o esporte que mais cresce no Brasil!

Por Marina Alvarenga Botelho
Fotos: Marina Alvarenga Botelho


Não, não é rúgbi, é futebol americano! Aquele esporte da bola oval vermelha, que é lançada com as mãos, sabe? São onze jogadores de cada lado do campo, sendo um time de ataque e outro de defesa. O objetivo é chegar com a bola do outro lado do campo e fazer um touchdown!

jogo-treino

Pode parecer confuso à primeira vista, com aquele tanto de gente pulando em cima do cara com a bola, mas após uma explicação e um olhar mais atento, o futebol americano se torna um dos esportes mais emocionantes de se assistir. Isso porque ele inclui muita estratégia – é quase um jogo de xadrez – e as coisas acontecem até o último segundo do jogo, literalmente.

Seguindo as tendências do crescimento do esporte no Brasil e no mundo, Lavras já conta com o seu time – o Lavras Falcões Futebol Americano. O time, que surgiu em 2011 como uma modalidade dentro da Universidade Federal de Lavras (UFLA), se tornou, em junho de 2016, o time oficial da cidade. Para a escolha do novo nome e do mascote, os até então UFLA Leões optaram por abrir uma enquete via Facebook para toda a população lavrense.

 

DE LEÕES A FALCÕESimg_7081

A prática do Futebol Americano em Lavras teve início na UFLA em 2011 com o time masculino, na modalidade No Pad (regras do jogo tradicional, mas sem equipamento de proteção). Participavam do time tanto estudantes da UFLA quanto membros da comunidade lavrense. O time cresceu, disputou campeonatos e amistosos e em 2015 criou o time feminino na modalidade Flag (sem contato físico).

Atualmente o time conta com cerca de 50 jogadores e jogadoras. Os treinos acontecem no estádio da UFLA e ainda recebe apoio da universidade. “Na verdade hoje temos uma dupla identidade, somos Leões, ou seja, uma modalidade desportiva da universidade, a fim de disputar campeonatos universitários. Mas somos também Falcões, abertos à toda comunidade lavrense, para representar também toda a cidade”, explica João Maurício.

O ESPORTE

O futebol americano é um esporte inclusivo, pois qualquer tipo físico pode participar: há alguma posição ideal para cada jogador, de acordo com suas características, sejam meninas ou meninos, altos, baixos, magros, gordos. Além de promover o trabalho em equipe, a socialização e a inclusão esportiva, o esporte também contribui para ampliar a responsabilidade, o comprometimento, o raciocínio lógico e, é claro, tudo o que vem junto como benefício de uma prática esportiva.

O Futebol Americano surgiu como uma variação do rúgbi nos Estados Unidos em 1867. Com o tempo, popularizou-se e firmou-se como esporte, mas foi somente após os anos 1950, com a popularização das televisões, que se tornou um grande espetáculo e consolidou-se como o esporte mais popular dos Estados Unidos, junto com o baseball. Atualmente, com televisões a cabo e por assinatura, a popularidade do esporte tem crescido exponencialmente no mundo todo.

A história do Futebol Americano no Brasil começa com transmissões na TV Tupi em 1967, mas começa a ser jogado no país somente na década de 1986. Nesses vinte anos, o FA adquiriu cerca de três milhões de fãs de esporte e o acompanhamento pelo público na televisão cresceu 800% nos últimos três anos .

A internet e as mídias sociais tem sido essenciais para a troca de experiência com times amadores e profissionais no país. Um mapa não oficial aponta a existência de cerca de 180 times no país, entre masculinos e femininos e entre as modalidades Full Pad, No Pad e Flag. Já existem diversas ligas e campeonatos também nas várias modalidades.

POPULARIZAÇÃO E FUTURO DO ESPORTE

Na final mineira do esporte, Get Eagles versus Minas Locomotiva, promovida pela Federação Mineira de Futebol Americano (Femfa), que aconteceu em junho, o Mineirão contou com um público pagante de quase nove mil torcedores.

Com o início da temporada da NFL, principal liga norte-americana, a tendência é, para o comentarista de futebol americano dos canais ESPN, Antony Curti, de maior popularização do esporte no país, não só em termos de público, mas em termos de times brasileiros: “Há dez anos você não tinha nem cinco equipes com equipamentos. Os campeonatos dependiam de parques ou campos horríveis. Hoje, são mais de 100 equipadas, vários campeonatos estaduais, duas divisões no campeonato nacional e partidas em estádios da Copa do Mundo de 2014, como o Beira Rio, o Mineirão e a Arena Cuiabá. Definitivamente foi uma evolução notável em dez anos. Agora resta saber como serão os próximos dez. Espero que de solidificação dessas equipes e cada vez mais melhora no nível técnico”.

“O time, que nasceu da vontade de um grupo de amigos de praticar o futebol americano, hoje busca representar toda a cidade de Lavras e honrar sua rica tradição esportiva” 

comenta João Maurício de Pádua Souza, atual presidente dos Falcões.

Revista Ipê