Dispositivos computadorizados tornam o carro mais seguro, confortável, econômico e interativo

A eletrônica tomou o automóvel moderno de assalto…

São dezenas de dispositivos computadorizados que tornaram o carro mais seguro, confortável, econômico e interativo. Cada um é identificado em inglês com letrinhas que ninguém entende. O motorista não sabe sequer o que significa ABS, apesar de este sistema de freios ser obrigatório no Brasil. E muito menos que TPM se refere ao monitor que verifica a pressão dos pneus. O controle eletrônico de estabilidade (ESC) já salvou muitas vidas, pois evita de o carro sair da pista numa curva mais fechada ou ao se desviar de um obstáculo.

ABS

Anti-lock Braking System – Sistema de Freio Antitravamento. Impede que as rodas travem e derrapem durante a frenagem de emergência, reduzindo a distância até parar o carro, e permite que o sistema de direção obedeça aos comandos do motorista no volante.

ACC

Adaptive Cruise Control – Controle de Cruzeiro Adaptativo. Identifica a distância e a velocidade do automóvel à frente, sendo capaz de acompanhá-lo, freando e acelerando automaticamente.

ASR

Anti Slip Regulation – Controle de Tração. Serve para impedir que as rodas derrapem durante a arrancada ou em terrenos escorregadios. Quando detecta que alguma roda está girando em velocidade incompatível com a do veículo, interfere para regularizar e recuperar a tração.

Auto-Hold

Controla automaticamente os freios ABS para manter o veículo parado numa subida mesmo que o motorista tire o pé do pedal. É desativado quando o acelerador ou a embreagem são acionados.

BAS

Brake Assist System – Assistente de Frenagem de Emergência. É ativado em situações de frenagem de emergência, aplicando automaticamente maior pressão no circuito hidráulico do freio. Reforça o esforço caso o motorista não aplique a pressão máxima no pedal. Pode também ser chamado de EBA (Emergency Brake Assist), BA (Brake Assist) ou AFU (em francês: Assistance au Frenage d’Urgence).

BLIS

Blind Spot Monitoring System – Sistema de monitoramento de ponto cego. O ponto cego é uma região que está fora do alcance da visão do motorista e dos retrovisores. O BLIS detecta veículos nessa área e avisa que estão lá com um sinal luminoso, geralmente no retrovisor lateral daquele lado.

Cruise Control

Definido erroneamente como “piloto automático”, o Cruise Control mantém a aceleração do veículo constante. O motorista aciona seu comando e a velocidade desejada é mantida automaticamente.

DCC

Dynamic Chassis Control – Controle Dinâmico de Chassi. Oferece modos de condução diferentes (Sport, Normal, Eco, etc.). Regula diversos recursos do veículo de acordo com o modo escolhido, emulando um determinado comportamento e resposta à direção.

Driver Alert

O comportamento do motorista é monitorado constantemente. Caso sinais de fadiga sejam detectados, um sinal luminoso se acende no painel (pode até ser uma xícara de café…) indicando que pode ser uma boa hora para uma parada de descanso.

Driver Alert: Caso sinais de fadiga, pode até acender uma xícara de café

Driver Alert: Caso sinais de fadiga, pode até acender uma xícara de café

DSG

Direkt-Schalt-Getriebe no alemão, ou Direct-Shift-Gear no inglês. Transmissão automatizada de dupla embreagem, como se fossem duas caixas de marchas manuais acopladas, uma com as marchas pares, outra com as ímpares. Permite que a marcha seguinte já esteja engatada, trocando apenas de embreagem para cambiar. Pode ser chamada PDK (Porsche), Powershift (Ford), DSG (VW), etc.

EBD

Electronic Brakeforce Distribution – Distribuição Eletrônica de Frenagem. Controla a distribuição da força de frenagem para cada roda, individualmente.

ESC

Eletronic Stability Control – Controle Eletrônico de Estabilidade. Monitora constantemente a trajetória: se um deslizamento lateral é detectado, ativa automaticamente o freio de determinada roda para recuperar o atrito. Também pode ser chamado de ESP ou DSC.

ESS

Emergency Signal System – Alerta de frenagem de emergência. Ativa o pisca-alerta automaticamente quando detecta frenagem repentina. Também pode ser chamado de: SISV, EBL (Emergency Brake Light).

FWD

Four-Wheel Drive – Tração Integral. Indica que o veículo possui tração nas quatro rodas. Também pode ser chamado de: AWD (All-Wheel Drive), 4WD (4-Wheel Drive).

HDA

Hill Descent Assist – Assistente de Descida. Auxilia em declives acentuados, controlando automaticamente a velocidade do motor e aplicando os freios ABS, se necessário.

HSA

Hill-Start Assist – Assistente de Partida em Rampa. Serve para facilitar arrancadas na subida. Mantém o veículo parado ao arrancar na subida por alguns segundos depois que o freio é liberado, evitando que o automóvel volte para trás.

Keyless

Substituto eletrônico da chave. Se o motorista o carrega, o sistema o detecta e destrava portas, permite a ignição por um botão no painel, etc.

Park Assist

Estaciona automaticamente o veículo, utilizando radares de distância, numa vaga que pode ser perpendicular, paralela ou em ângulo.

PCS

Pre-crash Safety System – Sistema anticolisão. Monitora a área à frente do veículo e detecta colisões iminentes. Caso haja o risco, alguns sistemas emitem um sinal sonoro, enquanto outros freiam o veículo ou o desviam automaticamente.

RSA

Road Sign Assist – Assistente para sinais de trânsito. Reconhece, por exemplo, a indicação de velocidade máxima e a coloca no painel.

SRS

É o air bag ou bolsa inflável. As letras significam (em inglês) Sistema Suplementar de Retenção (Supplemental Restraint System), exatamente para destacar que sua atuação é suplementar à dos cintos de segurança e não o substituem.

TPM

Tyre Pressure Monitoring System – Sistema de Monitoramento da Pressão dos Pneus. A calibragem dos pneus é constantemente avaliada e um alerta luminoso acende no painel quando a pressão de um ou mais pneus se reduz.


Captura de Tela 2017-03-08 às 08.23.30Boris Feldman
Jornalista e Engenheiro
www.autopapo.com.br

Revista Ipê